segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Oito em cada dez mulheres com mais de 50 anos estão acima do peso em Pernambuco


Brasília - Uma “emergência epidêmica” de obesidade e sobrepeso está atingindo a população adulta em Pernambuco. O alerta está contido em um estudo apresentado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), segundo o qual o problema atinge até 77% das mulheres com mais de 50 anos no interior do estado.

O estudo também revelou que o colesterol estava em níveis elevados em 36% dos adultos. Os triglicerídios, que equivalem à quantidade de carboidratos e gorduras no sangue, foram considerados altos em 19% dos casos.

“O problema do sobrepeso e da obesidade, que têm relação direta com o coleterol e os níveis de triglicerídeos, é que estão associados ao estilo de vida, a alimentação com muita fritura, poucos vegetais e frutas. Alimentação como fast food, que tem muito sal e muito açúcar. A conseqüencia é hipertensão em pessoas jovens, e problemas cardiovasculares”, explica o doutor Pedro Israel Lira, responsável pelo estudo.

Os números da pesquisa demonstram que houve uma inversão nos problemas de nutrição historicamente comuns na região Nordeste. Se a obesidade e o sobrepeso agora preocupam, problemas como déficit de estatura entre as crianças caíram pela metade de 1997 para cá – de 16% para 8% na zona rural, atingindo 5% na grande Recife. As anemias, principais indicadores de carência nutricional, caíram 33% em nove anos e a desnutrição infantil em menores de 5 anos está praticamente controlada, segundo o estudo.

Com a mudança no cenário alimentar de todo o país, o ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, responsável pelo programa Bolsa Família e pela segurança alimentar, pretende lançar uma série de campanhas de educação nutricional.

Entre elas, está o Programa do Leite, que vai comprar o produto de pequenos produtores de Minas Gerais e Nordeste e entregá-lo a famílias carentes depois de beneficiado em laticínios contratados. Também serão criados restaurantes populares, que têm acompanhamento de nutricionistas, e será estimulada a agricultura familiar e urbana.

“Estamos lançando uma campanha publicitária, para valorizar o arroz com feijão. Já encaminhamos para a Secom [Secretaria de Comunicação Social]”, anunciou o ministro Patrus Ananias. Segundo ele, as ações nessa área serão integradas com outros ministérios como o da Educação, que cuida da merenda escolar, da Saúde e da Agricultura, onde se estimula a agricultura familiar.

É considerado com sobrepeso o indivíduo com índice de massa corporal a partir de 25. Quando está a partir de 30, ele está obeso. O índice é medido dividindo-se o peso pela altura elevada ao quadrado. Por exemplo, uma pessoa que pesa 49 quilos e mede 1,57 metro tem índice considerado bom (1,57 vezes 1,57 é igual 2,46; 49 dividido por 2,46 é igual a 19,9).

Fonte:Agencia Brasil

2 comentários:

Renata Emy disse...

Oiê!
Parabéns pelo dia do biólogo!
Bjão

Rodrigo Piva disse...

Bela matéria.
A internet, o controle remoto, o carro ou mesmo o trânsito congestionado.... Tudo isso contribui para as pessoas se tornarem sedentárias, mesmo que em menor grau. Complicado.
Abraço